Passo-a-passo para instalação do Kubuntu Linux

Este procedimento foi usado para instalar o Kubuntu Linux 7.10 em um laboratório com 15 máquinas que já possuíam o Windows XP Professional instalado em uma partição NTFS. Todo o procedimento foi realizado com sucesso conforme já explicado no post daquela ocasião.

Com o lançamento do Hardy Heron (Ubuntu 8.04) eu refiz todos os procedimentos descritos em outras máquinas e as poucas diferenças foram anotadas e atualizadas neste texto para facilitar a qualquer iniciante no mundo Linux.

As máquinas que não eram de configuração tão homogênea ou muito novas assim, elas variavam entre Pentium 3 e Athlon 2800+ com 512MB de RAM e rodando diversas aplicações no Windows XP com NTFS, a intenção era reservar cerca de 15GB para o Linux e deixa-la apta para dar boot no Windows ou Linux a critério do usuário que escolheria o sistema ao ligar o computador.

* Obs: O Hardy Heron foi lançado e no caso do Kubuntu há dois “sabores” disponíveis, um com o KDE3.5 e outro com KDE4. Particularmente os testes que fiz para atualização deste tutorial foram exclusivamente com o Kubuntu KDE4, mas como a base de ambos é a mesma, se você quiser instalar o Kubuntu KDE3.5 seguramente poderá seguir este tutorial.

Baixando e gravando uma imagem do disco em uma mídia de CD

Por conta de um curso que será ministrado e cujo software só roda em plataforma Linux fui solicitado a instalar o “pinguim” no laboratório de aula. O curso será na próxima semana e em contato com o professor e demais responsáveis, disseram-me que a última vez que ministraram esta aula foi com Kubuntu 5.10 mas que em um teste com o Kubuntu 7.10 a coisa parecia ir melhor, então após baixar um torrente do Kubuntu e gravar dois CDs lá fui eu para o laboratório.

É claro que poderia ter feito o download normal das imagens sem usar um torrent, mas porque faria isso se posso ajudar a disseminar o torrent do Kubuntu? ;) Pra ser sincero eu não tenho muita intimidade com o KDE (interface gráfica do Kubuntu) e preferiria instalar o Ubuntu com Gnome, mas como o Kubuntu é bem parecido no quesito configuração então prefiro ele do que o RedHat e suas variantes (nada contra, mas é apenas o meu gosto).

Independente da forma que você baixar a imagem, lembre-se que a imagem do CD deverá ter em torno de 650MB e do DVD por volta de 4GB. Então, certifique-se de ter uma boa conexão com a Internet e um gerenciador de downloads.

Uma vez que já tenha a imagem do disco em sua máquina agora você poderá usar o Nero Burn para gravá-la na mídia. Outra forma é seguir o tutorial https://help.ubuntu.com/community/ComoGravarIso. Caso queira usar um outro programa de gravação de CDs lembre-se que você não deve “copiar” este arquivo para a mídia. Você deve usar a opção de copiar imagem do disco para a mídia ou uma opção parecida com isso.

Preliminares que todo mundo deveria fazer mas não faz

De posse do seu novo CD/DVD de instalação – antes de começarmos – ainda devemos fazer uma preventiva no seu sistema. Este procedimento deveria ser feito com uma certa periodicidade por todos os usuários de Windows, mas pouca gente sabe fazer ou se sabe não faz e depois reclama que a máquina está lenta, dando erros etc.

Não vou falar de backup de arquivos pois pressuponho que você como bom usuário de Windows já sabe que seus arquivos devem ser copiados para um pen-drive, disquete, CD etc para que em caso de pane você tenha como recupera-los depois. Principalmente instalando um novo sistema operacional que afeta a estrutura do seu disco rígido isso é imprescindível.

Então faremos um pequeno e trivial checkup em sua máquina que consiste em:

1 – Certificar-se que há espaço livre suficiente para instalar o novo sistema.

Isso pode ser feito abrindo o “Meu computador” a partir do menu “Iniciar”, clicar sobre a unidade de “disco rígido C:” com o botão direito e escolher “Propriedades“.

Eu recomendo que você tenha pelo menos uns 15GB disponíveis para instalar o novo sistema. Não que o Linux usará isso tudo, no geral ela não chegará a mais do que uns 4GB (já incluindo o swap que varia de acordo com a quantidade de RAM), mas é bom ter um pouco mais de espaço para você poder testar, instalar alguns jogos 3D (caso tenha uma boa placa de vídeo nVidia ou ATI) e etc.

2 – Execute o Assistente de Limpeza do Windows

Mesmo que haja espaço suficiente é bom, só por precaução, você rodar o “Assistente de Limpeza de Disco”, marcar TODAS as opções de limpeza e aplicar (acho que não tem aplicar, aqui deve ser OK mesmo). Obs.: O assistente de limpeza é iniciado no botão “Limpeza disco” que está na janela de propriedades que vimos no item 1. Parece meio paranóico mas não é. O motivo é que mais a diante executaremos uma desfragmentação e quanto menos arquivos inúteis tivermos no disco melhor será, tanto para segurança da instalação do Linux quanto para otimização e saúde do seu Windows.

3 – Faça uma análise preventiva do disco usando o Scandisk

Na mesma janela de propriedades que estamos usando você nota que temos algumas fichas como: Geral, Ferramentas, Hardware etc. Clique na ficha “Ferramentas” e em seguida no botão “Verificar Agora…“. Marque as duas opções que aparecem na janela e clique no botão “iniciar” [desta janela].

Provavelmente você verá um aviso dizendo que o Windows não pode iniciar a análise naquele momento e pergunta se você deseja que ele faça isso na próxima vez que você reiniciar o sistema. Responda “Sim”, salve e feche tudo que estiver aberto e reinicie o computador para que o seu disco seja testado (se você faz isso com freqüência talvez não leve muito tempo) na minha instalação isso levou menos de 15m e ao terminar o Windows estava pronto para continuar.

4 -Desfragmente o disco

Agora que estamos de volta no Windows você novamente entrará na janela de propriedades do disco (como fizemos no item 1) e volte para a ficha “Ferramentas“, clique no botão “Desfragmentar agora…” e na tela do desfragmentador clique o botão “Desfragmentar“.

Este procedimento poderá levar até algumas horas dependendo da periodicidade com que você faz esse tipo de manutenção em seu computador, tipo de uso, quantidade de programas instalados etc. Quanto mais bloquinhos vermelhos tiver no gráfico, mais tempo isso levará. Seja paciente, espere (sem usar o computador – arrume um livro para ler ou vá tomar um sorvete com o(a) namorado(a)) e ao terminar seu micro estará pronto para instalação de mais um sistema operacional.

Instalando

Depois de todo esse “ritual preparatório”, vamos ao que me propus, mas relaxe isso é simples e nada doloroso. Quem já teve outras experiências com Linux e ficou frustrado certamente se surpreenderá com a simplicidade que é instalar o Kubuntu.

1 – Após colocar o CD no driver, reinicie o computador (certifique-se que seu computador está preparado para dar boot pelo CD, senão tiver você precisará entrar no setup do seu computador ou usar o menu de escolha de dispositivos de boot, dependendo de qual seja a máquina – isso você terá que descobrir sozinho ou olhando no manual de sua placa mãe.

2 – Feito isso, após alguns segundos você verá uma tela com o logotipo do Kubuntu e um menu com várias opções. Um simples ENTER iniciará o sistema (EM INGLÊS) mas não se frustre. Se quiser mudar para Português, antes de teclar ENTER, tecle F2 para exibir o menu de idiomas e então escolha (usando as setas do teclado) a opção “Português Brasileiro”*. Ao teclar ENTER para escolher este idioma tecle outra vez para inicia o Kubuntu no seu computador.

*Atualização Kubuntu 8.04: Curiosamente nesta versão do Kubuntu a opção de iniciar o sistema não foi traduzida para o Português – mas que falha!, então não se espante com a frase em Inglês: É a primeira opção independente do idioma que ela apareça.

Uma das boas características do Linux (praticamente todas as distribuições Linux são assim) é que você não precisa adquirir um CD especifico para um idioma. Um mesmo CD de instalação geralmente permite instalar o sistema em cerca de 50 idiomas diferentes ou mais, portanto com este mesmo CD você poderá instalar o sistema um Russo, Turco, Hebraico, Português, Grego etc. Neste passo você escolheu o idioma para iniciar o modo LiveCD*, não o idioma que o seu sistema será instalado.

*Obs: LiveCD é o como chamamos uma mídia que inicia o sistema sem necessidade de instalação no HD de sua máquina.

3 – Após alguns minutos você verá a área de trabalho do Kubuntu rodando em seu computador, mas não entre em pânico e nem se dê por satisfeito. Ele não está instalado ainda.

Como você está usando um LiveCD o sistema é todo carregado como se estivesse instalado. O objetivo disso é testar o sistema e se você gostar então poderá instalá-lo ou não. Se estiver tudo certo (vendo a imagem na boa, mouse e teclado funcionando então as chances DESTE Linux funcionar bem na sua máquina é de quase 100%.

E se não funcionar? Bem, nesse caso você deverá testar uma outra distribuição ou outra versão. Por exemplo no meu notebook, esta versão (Kubuntu 7.10) não configura corretamente o vídeo, então eu uso o Kubuntu 7.04 que uma versão um pouco mais antiga e isso não me prejudica em nada, só não tenho os novos recursos, mas quando sair a edição 8.04, eu certamente tentarei e creio que funcionará muito bem.

*Obs: Não se espante com a velocidade, se tudo estiver muito lento, isso é por conta do CD ser muito mais lento que o HD e após instalar você verá que bem mais rápido.

4 – Agora que você está com Kubuntu rodando para instala-lo você dará UM clique só um no ícone “Instalar“* que está em sua área de trabalho. Isso abrirá um assistente que o conduzirá até o término da instalação.

*Atualização Kubuntu 8.04: Este ícone, também não está traduzido então o certo aqui será “INSTALL”.

5 – Uma vez que o instalador inicie, a primeira coisa a escolher é o idioma. Mesmo que você tenha escolhido iniciar o CD com idioma Português Brasileiro lá no passo 2, caso queira você poderá dizer que a instalação será feita em outro idioma agora – tal como explicado no passo 2.

6 – Após clicar no botão próximo você verá um mapa-mundi onde cada ponto corresponde a uma zona de tempo do nosso fuso-horário então por exemplo aqui no Rio a nossa zona de tempo é a mesma de São Paulo, então como não há um “pontinho” sobre a cidade do Rio clicamos em São Paulo (não esqueça de clicar em próximo para seguir adiante).

7 – Agora vamos escolher o idioma padrão de digitação e o layout do teclado. Como eu tenho um teclado ABNT2 (aquele com Ç) então escolhi Brazil nos dois lados da tela. Em caso de dúvidas, na parte de baixo, nesta tela há uma área de testes. Experimente digitar os caracteres mais específicos possível do seu idioma, como por exemplo o Ç Õ à ü etc. Se estiver tudo OK é só avançar senão escolha outro e teste novamente.

*OBS: Se o seu teclado não é ABNT2 e você pretende digitar textos em Português você deve escolher Idioma USA (lado esquerdo da tela) e o Layout “USA – Alternative International (former_intl)” (lado direito da tela); esta deve ser a segunda opção na lista de layout.

8 – Esta é a parte que mais assusta, por isso espero que você tenha backups em CD, DVD, Pendriver ou outro disco das suas fotos em família, o vídeo de nascimento do seu filho, aquele Mp3 com o pagode xulé que seu amigo compôs etc.

Se você fez aquela preventiva que expliquei antes de instalar é pouco provável que tenha problemas, mas acidentes só acontecem quando não esperamos, certo? Não precisa se apavorar, mas esteja preparado para o pior. ;)

O que você fará aqui é simplesmente escolher a opção “Particionamento Guiado – Redimensionar” (primeira opção) e na barrinha que há logo abaixo arraste o seu indicador para a direita ou esquerda a fim de definir o tamanho do disco que você quer destinar ao Linux. Como você está começando agora eu duvido que você use esta instalação por muito tempo então mais cedo ou mais tarde você a removerá ou instalará novamente portanto não precisa reservar muito espaço. Para iniciantes eu sugiro algo entre 10G e 20G mas se quiser ser mais generoso sinta-se a vontade.

*Atualização Kubuntu 8.04: Agora é exibido um gráfico de barra que sugere 50% para cada. Aponte o mouse na barra central desse gráfico e arraste para o lado desejado, de forma a ajustar o tamanho das partições.

Ao avançar, o sistema poderá lhe pedir uma confirmação onde você pode desistir – deixando o disco intacto – caso já esteja arrependido, se borrando de medo, ou apenas tenha esquecido de copiar a foto da sua sogra dormindo de boca aberta no sofá, e que estava em uma pasta oculta.  ;). Se tudo estiver OK, simplesmente clique em “Continuar” para que o particionamento seja iniciado.

Após algum tempo de processamento – se der tudo certo – o seu disco será dividido logicamente mantendo um pedaço (partição) para o Windows e outro para o Linux. Se algo der errado é bem provável que nada tenha sido feito então você deverá reiniciar o computador no Windows (não esqueça de tirar o CD do drive) e em seguida fazer aquela preventiva novamente.

Durante o particionamento de uma de minhas máquinas eu tive problemas neste ponto e o instalador voltou o particionamento ao original e sendo assim o Windows estava intacto. Após refazer o mesmo procedimento de prevenção que já citei e tentar novamente, tudo correu normalmente – certifique-se também de não reservar para o Linux um espaço maior do que o seu espaço total livre no Windows.

9 – Passada a etapa mais assustadora que é o particionamento agora é tudo flores. Você deverá digitar o seu nome bem bonito, um apelido (geralmente o instalador sugere seu primeiro nome, mas você pode mudar se quiser) uma senha (que deverá ser digitada duas vezes) e um nome para o computador (será sugerido “seunome-desktop” mas sinta-se a vontade a mudar se quiser).

10 – Ao avançar o processo de cópia e instalação dos programas iniciará e enquanto isso você pode abrir o tetris, paciência etc ou até mesmo navegar na Internet em alguns casos. Como tudo deve estar bem lento talvez você prefira ir beber uma água e voltar daqui a uns 15 ou 20 minutos.

11 – Meus parabéns, ao terminar este processo você já tem o Linux instalado no seu computador. Basta reiniciar o sistema e você verá o menu onde poderá escolher entrar no Windows ou no Linux.

Considerações sobre o próximo boot

Ao rebootar o computador, o menu de boot espera 10s por sua decisão e caso você não escolha qual sistema deseja entrar o Kubuntu Linux iniciará automaticamente (este comportamento pode ser alterado depois).

Entretanto, se você escolher Windows, ao entrar no Windows pela primeira você verá uma assustadora mensagem dizendo que o disco pode estar com problemas e caso você não pressione tecla alguma ele iniciará o Scandisk (programa para diagnóstico de discos) mas não se preocupe isso foi intencional deixe o scandisk iniciar e espere, após ele terminar nada de errado será encontrado e o sistema reiniciará sozinho. Se você quiser se assegurar disso basta escolher o Windows novamente e ele iniciará corretamente como se nada tivesse ocorrido.

Caso você entre no Linux, seja escolhendo o Linux, ou deixando passar os 10s, após mais alguns segundos (dependendo de sua máquina) você verá a tela de login, chamada KDM com um único usuário. Para entrar no sistema, clique neste usuário e digite a sua senha (aquela do passo 9). Divirta-se!

Mais otimizações

Seu sistema já está instalado e agora você pode optar por iniciar o computador com Windows ou Linux e agora o que fazer?

Milhões de coisas novas o esperam. Você pode procurar o Guia Foca Linux na internet para aprender mais sobre os comandos do terminal, ou outro tutorial, se inscrever em uma comunidade de usuários etc. ou simplesmente testar tudo o que está no seu sistema antes de arrumar algo mais etc.

Configurar o seu acesso a Internet (isso pode ser um pouco mais trabalhoso, mas não é impossível eu levei um ano para conseguir navegar na Internet pelo Linux depois que instalei o Linux pela primeira vez).

Nada impede de baixar os programas pelo seu Windows e depois instalar no Linux!

Preparando o auto-login

Só para não dizerem que “falei muito e não disse nada” uma das configurações pós-instalação que eu costumo fazer é o auto-login que me permite entrar no Linux sem precisar fornecer a senha. Se você usará este sistema sozinho e só terá um usuário é uma boa opção.

O procedimento é simples:

1 – Clique no menu principal (aquele ícone com um K no canto inferior da tela)

2 – Clique na opção “Configuração do sistema” (equivale ao painel de controle do Windows)

3 – Clique na ficha “Avançado”

4 – Clique no Ícone do “Gerenciador de login”

5 – Clique no botão “Modo administrativo” e ao ser solicitado informe a sua senha (aquela do passo 9 na instalação)

6 – Clique na ficha “Conveniências”

7 – Marque a opção “Auto-login”

8 – Clique em Aplicar e e em seguida feche a janela.

Prontinho, da próxima vez que você reiniciar o computador ele entrará no sistema sem pedir senha.

Links

Download do Kubuntu: http://www.kubuntu.org/download.php

Site do Kubuntu no Brasil: http://www.kubuntu-br.org/

3 ideias sobre “Passo-a-passo para instalação do Kubuntu Linux”

  1. Boa noite,
    Parabéns pelo ótimo tutorial.
    Mesmo com o passar do tempo, o Kubuntu continua incrívelmente simples e prático em termos de instalação. Utilizei o Unetbootin para gravar o Kubuntu 12.04 num live usb – pendrive 4gb.
    Vocẽ indica pelo menos 10gb para o linux, é possível fazê-lo em apenas 4gb? Outra questão: tenho dois HD’s no PC, caso instale no escravo, poderia haver revezamento de hierarquia entre os HD’s conforme o SO escolhido, isso funciona?
    Desde já, muitíssimo obrigado por sua disponibilidade.

  2. Saudações @Alessanddro ,

    Assim que possível eu pretendo atualizar o tutorial, mas fico feliz que mesmo antigo como é ele ainda seja útil. Eu também costumo usar o unetbootin para criar os discos de boot, pois em geral eles funcionam melhor do que aqueles gerados pelo criador de discos de boot do Ubuntu.

    Quanto aos 10GB de espaço em disco, este foi um valor razoável que considerei após centenas de instalações que já fiz de várias distribuições Linux para os mais diversos fins, mas de acordo com a documentação do Ubuntu[1] o requisito mínimo de espaço em disco para o Ubuntu é de 5GB embora não creia que haja espaço suficiente para atualizações posteriores dos pacotes instalados, trabalhos com arquivos temporários etc o que o obrigará a mover o /tmp /var/cache entre outros para alguma outra partição ou disco separado.

    Não sei se entendi direito o que você quer revezando discos, mas quanto a instalar o Ubuntu no HD escravo não é preciso fazer qualquer esforço para revezar discos. O gerenciador de boot do Linux (o Grub – no caso do Ubuntu) é gravado SEMPRE no Masterboot do primeiro HD, assim todas as vezes que você ligar o PC o menu de boot será exibido e você poderá alternar entre o Windows (que estará obrigatoriamente no primeiro HD) e o Ubuntu (que estará no segundo disco).

    abç

    [1] https://help.ubuntu.com/community/Installation/SystemRequirements#Ubuntu_Desktop_Edition

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Além do mundo real