Backintime – Tenha sua própria máquina do tempo

Backintime é uma ferramenta de backup para Linux, inspirada no utilíssimo TimeVault dos sistemas da Apple. Ele se utiliza do popular Rsync e cria “replicas” de diretórios e arquivos utilizando-se do poderoso recurso de hard-link existente nos sistemas de arquivos Linux para garantir que você tenha backups completos do seu sistema ou de pastas especificas sem consumir muito espaço em disco.

Backup: A velha recomendação que [quase] ninguém segue

Existem centenas de maneiras de se realizar um backup e para cada uma destas, devem existir uma centena de ferramentas que as realizam.

Da mesma forma há centenas de milhares de recomendações por ai a respeito da importância de se ter um backup dos dados atualizado, mas ainda assim é possível contar nos dedos quem os fazem antes de ter o leite derramado, digo, que os dados sejam perdidos.

Assim como existem muitas maneiras de se fazer backup, existem também muitas maneiras de se perder um arquivo. As três mais comuns (em minha opinião, baseada no que vejo diariamente no trabalho nosso de cada dia) são o arquivo que se corrompe (por falha de software ou hardware), a exclusão acidental sem cópia para lixeira e a perda total causada por defeito no disco.

Se uma destas situações  já aconteceu com você, provavelmente tenha aprendido da pior maneira que seus dados precisam ter uma cópia de segurança.

A ferramenta Backintime

O Backintime, conforme já dito no início deste texto é inspirado no Timevault da Apple, mas esta ferramenta é destinada aos usuários Linux e sua mágica é feita usando o bom e velho Rsync que cria cópias e hardlinks de arquivos existentes de forma a poupar espaço em disco.

A sua interface, que lembra um pouco o Nautilus e outros gerenciadores de arquivos, permite navegar pelos backups dentro das pastas na data/hora especifica em que aquele backup foi realizado.

Janela principal do Backintime
Janela principal do Backintime

Desta forma se você, por exemplo, percebeu que uma ação qualquer corrompeu um arquivo ou o apagou indevidamente, abra a interface do aplicativo, escolha um ponto no tempo instantes antes do problema e restaure o seu arquivo.

Instalação

Para os felizes usuários do Ubuntu um simples comando instala o aplicativo:

sudo aptitude install backintime-gnome

Caso você use o KDE, ao invés do Gnome, poderá usar a seguinte linah de comandos para instalar a interface adequada ao seu ambiente:

sudo aptitude install backintime-kde

Caso você não use Ubuntu não se frustre, você pode entrar no site oficial[1] e baixar um pacote que poderá ser instalado em sua distribuição (Fedora e Mandriva) sem precisar compilar nada (ele é feito em Python).

Em ultimo caso você poderá baixar os fontes e instalá-los também sem muitas dificuldades.

A configuração básica

Uma vez instalado o software poderá ser acessado a partir do menu principal do seu ambiente, na pasta Aplicativos / Sistema (Considerando o menu do Gnome).

Da primeira vez que o software for executado a janela de configurações será exibida poderemos configurar a rotina de backup que é bem simples de ser feita e sem muitas perguntas complicadas.

O roteiro que deixo abaixo deverá ajudar aos que sentirem dificuldades.

Ficha Geral

Nesta ficha há apenas uma lista onde deveremos indicar a pasta de destino dos backups. Ela pode ser seguramente no mesmo disco, em outro disco interno ou  mesmo disco externo.

O destino do backup fica a seu critério mas lembre-se que ao escolher um backup em disco externo o mesmo deverá estar conectado e acessível no sistema no horário em que o backup for realizado do contrário o backup poderá não ser feito.

Caso use um disco interno certifique-se que ele esteja montado e acessível também. E no caso de ser no mesmo disco, lembre-se que esta modalidade não o ajudará em caso de defeito no disco.

Ainda é importante lembrar que este disco, onde o backup ficará armazenado, deve ter espaço suficiente para armazenar o seu backup, visto que são realizadas cópias não compactadas dos arquivos.

Ficha Incluir

Aqui deveremos informar quais pastas entrarão no seu backup. Se você quer um backup completo do seu home basta clicar no botão “Adicionar” e selecionar esta pasta.

Você também pode indicar outras outras. Inclusive, caso prefira, você pode selecionar apenas as pastas desejadas, digamos “Documentos” “Vídeos”, “Músicas” etc.

Ainda nesta ficha definimos qual será o intervalo entre os backups que podem ser desde um pequeno período de 5 em 5 minutos entre eles até o máximo que seria de 1 por mês. Este intervalo será usado para realizar o backup de todas as pastas que incluiremos na ficha seguinte.

Mais adiante veremos que é possível definir um agendamento individual de backup para cada pasta e assim poderíamos ter backup a cada 1 hora da pasta “Documentos”, por exemplo, enquanto da pasta “Vídeos” seria diário e da pasta “Músicas” seria semanal.

Ficha Excluir

Use esta ficha para adicionar pastas e arquivos que não deverão entrar no seu backup. Por exemplo se você fizer backup do seu home, certamente não vai querer copiar a lixeira, ou a pasta de cache do Tracker, do Beagle, Firefox etc.

Basta clicar no botão “Adicionar pasta” e escolher a pasta desejada. Analogamente o botão “Adicionar Arquivo” permitirá que um arquivo seja adicionado a lista.

O botão “Adicionar” permite adicionar uma expressão a ser Todo arquivo ou pasta que coincidir com esta expressão será descartado.

Ficha Auto-remoção

Nesta ficha nós poderemos garantir que não teremos backups muito antigos guardados inutilmente e nem que o disco estará lotado e sem espaço para novos backups.

Marcar a opção “Mais velhos que *” possibilitam a exclusão automática de backups que tenham passado da idade especificada (você pode definir a idade em dias, semanas ou em anos).

A opção “Se o o espaço livre for menor que *” fará com que o os backups mais antigos sejam excluídos caso você tenha espaço livre no disco menor do que o valor estipulado em MiB ou em GiB.

Caso você use a opção “Remoção inteligente”, então uma regra bacana será adotada para preservar os backups, permitindo que você tenha backups dos anos anteriores, dos meses que já se passaram deste ano, da semana passada e da anterior, de ontem e de hoje.

Esta opção é interessante se você pretende ter um backup em mídia externa para preservação de dados. Caso você apenas queira ter um meio de se salvar de uma perda de arquivos recente, é recomendável não usá-la.

A opção “Não remover snapshots nomeados” permite que as regras anteriores não afetem qualquer backup que você tenha dado um nome especifico.

Ficha opções

Nesta ficha só há uma opção que é a de ativar notificações. Você pode deixar esta opção ativada que seguramente não afetará o seu backup em nada.

Ficha Opções avançadas

Esta ficha possui uma mensagem intimidadora logo na parte superior dizendo: “Só modifique estas opções se você tiver certeza do que está fazendo!”.Mas não se preocupe com ela só há duas opções aqui e usá-las em hipótese alguma irá explodir o seu computador. 😉

A primeira opção permite agendar os backups individualmente para cada pasta da ficha “Incluir” que já comentei antes. Caso você marque esta opção, volte a ficha “Incluir” e observe que ao lado de cada pasta há um agendamento. Basta clicar no período que estiver ali para que a lista seja exibida e você possa escolher um período especifico para cada uma.

A segunda opção (executar ‘nice’ como cron job) permite que os comandos de backups sejam executados com uma prioridade adequada a não prejudicar o seu trabalho.

Assim que todas as opções estiverem configuradas, clique no botão “Ok” para confirmar e pronto, sua máquina do tempo já está configurada.

Voltando no tempo

Com o Backintime configurado não temos nada mais a fazer além de esquecê-lo rodando. Periodicamente ele fará os backups sem qualquer intervenção e quando precisarmos dele basta clicar em seu ícone que a janela principal será exibida.

A partir da janela principal nós devemos selecionar a data do snapshot e a pasta arquivo desejado. Clique sobre ele com o botão direito e em seguida na opção Restaurar.

Basicamente é isso. O restante é bem intuitivo e acredito que dispense comentários, mas se precisar de ajuda é só comentar.

Referências

[1] Backintime. <http://backintime.le-web.org/>

2 comentários em “Backintime – Tenha sua própria máquina do tempo”

  1. OLá colega, valeu a dica , se não se lembra perguntei sobre back-up lá no grupo do Ubuntu e você comentou desse seu post, pois bem segui seu conselho usei o Backintime, já esta configurado e rodando direitinho . Obrigada pela dica . vlw

    1. Opa,
      Fico satisfeito em saber que a explicação lhe foi útil. Parabéns pelo sucesso.

      ps: Lembro sim da sua pergunta, inclusive você fez um último questionamento sobre a diferença entre o Back in Time e o Flyback e eu o respondi recentemente. Em breve pretendo escrever um texto sobre ele também.

      Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.