Inicializando o PC a partir do pendrive

Você não precisa queimar um CD para instalar o sistema operacional no seu PC, mesmo que seja o Windows. Os computadores mais novos permitem a inicialização a partir de dispositivos USB, o que torna obsoleto o uso de CDs para este fim usando a ferramenta UnetBootin é possível se beneficiar deste recurso e aposentar de vez as mídias de CD e DVD.Foi-se o tempo em que precisavamos dar boot no PC através de disquetes (daqui a uns anos a nova geração só conhecerá este nome por ter lido em algum livro de tecnologia); Cds e DVDs também estão com os dias contados e seguindo o mesmo rumo. Há alguns anos que não sei o que é gravar um CD, mesmo para backups que tenho prefirido guardar em um HD externo.

Mas para boot e instalação do sistema operacional, só de um ou dois anos pra cá é que comecei a abolir o CD também. O Ubuntu já permite isso a alguns anos através da ferramenta “Criador de disco de inicialização” que encontra-se disponível no menu Sistemas > Administração. Mas mesmo quem use outra distribuição Linux ou mesmo o M$ Windows pode se beneficiar deste recurso.

Basta que para tal você baixe a ferramenta UNetbootin [1] que permite criar “Live USB” (fazendo um trocadilho com os “Live CDs” já popularmente conhecidos) para qualquer distribuição Linux ou Windows.Para tanto você pode optar por permitir que a ferramenta baixe os pacotes da distribuição escolhida, ou então, caso esteja disponível usar uma imagem ISO do CD/DVD de instalação.

A sua grande vantagem é que pode ser usada para criar LiveUSB para qualquer sistema operacional. E mesmo quando a ferramenta do Ubuntu de deixar na mão o UNetbootin estará lá para te ajudar.

É importante lembrar que – conforme consta no site oficial – embora seja possível rodar a ferramenta a partir do Mac OS e criar o seu Live USB a partir de lá, você só poderá dar boot com USB a partir da arquitetura PC.

Como usar a ferramenta

Uma vez que você já tenha baixado a ferramenta para o seu computador o uso é bem simples e se resume a três passos:

  1. Escolha a distribuição Linux a ser instalada no pendrive, ou escolha uma imagem ISO previamente baixada para o seu disco
  2. Escolha o modo “Unidade USB” e então a unidade corresponde ao seu pendrive ou o dispositivo correspondente (no caso do Linux)
  3. Clique OK e espere o trabalho terminar

Ao termino o UnetBootin perguntará se deseja reiniciar o sistema. Responda Sim ou não de acordo com a sua necessidade e agora que o pendrive está pronto para uso basta desmontá-lo e então usa-lo normalmente como se fosse um CD de boot.

Considerações

Lembre-se que ao reiniciar o computador ele deverá estar configurado para dar boot pela porta USB, o que infelizmente é diferente de um computador para outro. Geralmente é preciso teclar F2, F10, ESC ou outra tecla que só tem duas maneiras de descobrir qual é: Ler o manual da placa mãe, ou observar na hora do boot quais são as teclas corretas.

No linux você deverá se certificar de dar permissões de execução para o arquivo (comando “chmod +x arquivo”) antes de executá-lo e ainda lembrar-se que para ter permissões corretas de gravação no dispositivo físico você deverá invocá-la como usuário root (algo como o comando “su” ou “sudo” resolvem esta questão).

Outra dependência importante a ser resolvida no Linux para que o utilitário funcione corretamente é a dos pacotes syslinux e p7zip-full. No Windows isso é dispensável.

Ao iniciar a ferramenta o seu pendrive já deverá estar conectado e montado no computador para que possa ser reconhecido pelo Unetbootin. O seu dispositivo não será formatado e nem nenhum arquivo nele existente será excluído.

O pendrive deve estar formatado como FAT32 e ter espaço livre suficiente para gravar toda a imagem ISO. Ou seja, se a imagem tem 640MB você precisará ter este espaço livra no pendrive, se for a imagem de um DVD com 4.4GB esse espaço deverá estar livre no seu pendrive.

Referência

[1] UNetBoot. Dispnível em <http://unetbootin.sourceforge.net/>

2 ideias sobre “Inicializando o PC a partir do pendrive”

  1. Esqueceste de apenas um detalhe: muitas distribuições (inclusive a futura versão do Ubuntu), estão utilizando uma imagem ISO híbrida, a qual com o simples uso do comando dd, podemos gerar o pendrive inicializável diretamente:

    # dd if=ubuntu.iso of=/dev/sdc

    1. Opa,

      Bem lembrado meu caro, realmente esta é uma alternativa para quem gosta de linha de comandos. Mas é bom enfatizar que usar o Unetbootin tem quatro vantagens em relação ao velho método com o comando dd:
      1 – Vocẽ não precisa usar a linha de comandos (que pode ser pavorosa para os iniciantes);
      2 – Você pode criar o “Live USB” até mesmo do Windows ou do Mac OS X (bom para quem “se converteu” a pouco tempo);
      3- Não é preciso particionar, formatar, nem apagar dados em seu pendrive (ótimo para não ter que apagar os seus dados já existentes);
      4 – Se você não tiver a imagem ISO para a distribuição desejada, ela será baixada automaticamente para você.

      Se você não tiver o que se preocupar com algum destes quatro itens, o comando dd é uma solução realmente eficiente e eficaz.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *