Backup de que?

Eu e muitos outros especialistas já avisaram e continuam a avisar a respeito da importância de se ter um backup dos dados em seu computador. Mas em geral não é comentado o que se deve guardar em um backup e nem por quanto tempo. O resultado é que muita gente acredita que um backup deve guardar todo o conteúdo dos seu novíssimo dico de 500GiB repleto de músicas e vídeos. O que não é verdade.

Partindo do ponto que você já sabe a importância de se fazer o backup dos seus computadores o que pretendo discutir agora é algo conhecido pelos especialistas como “política de backup”. Um nome pomposo para definir apenas os critérios necessário para assegurar que após uma pane geral no seu computador você poderá restaurar os seus dados sem surpresas indesejáveis. Em outras palavras, uma política de backup consiste em responder as seguintes perguntas: O que?, Onde?, Quando?, Quantos?, Como?

O que?

Esta é uma pergunta interessante. Ela trata do aspecto “conteúdo”. O que você deve guardar? Muitas vezes guardar todo o conteúdo do seu disco rígido não é o bastante. Você pode ter outras mídias como pendrive, discos externos etc que também necesitem de backup. Neste caso você precisará de um bom espaço para guardar tudo isso. Para a maioria das pessoas isso não é uma verdade. Aqueles que usam o computador para jogos, textos eventuais, e-mails etc – o chamado uso básico – talvez não tenha muito o que fazer backup e neste caso, ainda que seu disco rígido tenha 459GiB de espaço em uso, você poderá se surpreender e concluir que seu backup não precisará de mais do que uns 10GiB.

Para ir direto ao ponto e responder a pergunta. Tenha em mente que o que mais ocupa espaço em disco são os arquivos multimídia (vídeos e músicas). Que jogue a primeira pedra quem nunca baixou um vídeo da Internet ou uma música. Não vou entrar no mérito de discutir a questão da pirataria, mas se você já baixou certamente tende a manter este conteúdo em seu disco e então na hora de fazer o backup também acaba caindo na tentação de incluir estes arquivos no seu backup.

Instaladores de programas, imagens de disco (arquivos ISO) embora sejam mais comuns em computadores de usuários que já passaram do nível de usuário básico, são também arquivos que ocupam muito espaço e são fortes candidatos a serem desprezados em um backup.

Em regras gerais você deveria desprezar a existencia dos arquivos baixados da Internet quando estiver preparando o seu backup. Se você converteu seus CDs para MP3, ous seus filmes em DVD e Bluray para MP4 e os salvou em seu computador, faça o backup deles.

Por outro lado aqueles arquivos que você baixou da Internet não tem porque mantê-los em um backup. Certamente você os encontrará novamente se os quiser. Como em geral é raro alguém assistir o mesmo filme mais do que duas ou três vezes. Se você o perder – no caso de uma pane – a probabilidade de querer assistir novamente é tão pequena não compensa o gasto de espaço e tempo fazendo backup dele. Seria mais interessante então salvar o link de onde você baixou ou o arquivo “.torrent” pois isso ocuparia bem pouco espaço e o permitira pegar o arquivo novamente se houver necessidade.

Onde?

“Onde fazer o backup” é uma dúvida diretamente relacionada a pergunta anterior. Se você não souber responder com precisão exatamente o que deve ser guardado é bem provável que também não tenhas condições de responder onde guardar.

O motivo é simples: Como disse você pode ter 459GiB de arquivos dos mais variados tipos em seu computador, mas concluir que apenas 10GiB precisam ser guardados em uma cópia de backup. Neste caso você poderia simplesmente comprar um pendrive de 16GiB e fazer esta cópia.

Por outro lado, você pode ter apenas 10GiB de informações importantes em seu disco rígido mas tem milhares de fotos digitalizadas na memória de sua camera, celular, filmadora etc e que não existe cópia em nenhum outro lugar.

Lembre-se que fotos não são o tipo de arquivo que costumam ser alteradas com frequencia, então com um bom software de backup que realize o processo de backup incremental você poderá ter um backup seguro sem ocupar espaço desnecessário na mída.

Tenha em mente ainda que se um backup é bom, ter mais te um é melhor ainda. Certifique-se de que a mídia escolhida (pendrive, disco externo, nuvem etc) tenha espaço para ao menos duas ou três cópias/versões dos seus arquivos. Isso pode assegurar que você possa pegar uma versão mais antiga de um arquivo,  caso de você ter feito uma séria de alterações equivocadas e que acabaram entrando no seu último backup.

O espaço necessário então dependerá do quanto você tem dados, e do quanto estes arquivos são alterados. Seguindo a política de backups diferenciais você pode ter um backup inicial que ocupe 10GiB e todos os backups seguintes não ocuparão mais do que alguns megabytes, já que este procedimento realiza a cópia apenas daqueles arquivos que foram alterados desde o último backup.

Quando?

Sejamos honestos: Fazer backup é um tédio, computadores deveriam servir para facilitar nossas vidas e não para dar mais trabalho. Mas infelizmente nem tudo são flores, certo? Sendo divertido ou não, se você tem um pouquinho de amor por sua vida digital você deveria dedicar um tempo para fazer este sacrificio pelos seus dados.

Particularmente eu faço backup dos dados em meu computador uma vez por semana de maneira semiautomática. Como o meu backup é programado para meia noite de todos os dias basta que, uma vez por semana, eu conecte o meu HD externo na porta USB e deixe o computador ligado durante a noite. No dia seguinte eu só tenho o trabalho de desconecta-lo e o e deixar guardado até o próximo backup.

Isso é suficiente para a maioria das ocasiões, mas eventualmente eu acabo fazendo algumas mudanças radicais nos meus arquivos – como reorganizar todas as minhas músicas, ou renomear centenas de arquivos por algum motivo etc e então eu acabo realizando um backup imediato para assegurar que não vou perder estas modificações.

O importante é você criar o hábito – e vou ser sincero é difícil conseguir. Depois que você tiver uma política de backup arrumada que  o atenda e não te dê tanto trabalho, você vai fazer seus backups de maneira tão natural quanto faz outras coisas simples da vida e deixar de fazê-lo vai acabar o incomodando até que você o faça. Hoje em dia por exemplo se passar o fim de semana e eu não fizer um backup é certo que na segunda-feira pela manhã, antes de sair para o trabalho, eu ligue o computador, conecte o disco e deixe a rotina de backup sendo executada.

Quantos?

Imagine a seguinte situação: Você já pegou a rotina de realizar seus backups e o faz diariamente. ontem você fez uma grande alteração na sua tese de mestrado, ou uma montagem em um vídeo da família e que ficou legal. Após isso você disparou sua rotina de backup e está tudo seguro. Hoje cedo você abriu o arquivo com a tese ou o seu vídeo editado e, graças  sua ótima noite de sono, conclui que estas alterações não ficaram muito boas e seria melhor se você as refizesse de outra maneira.

Se você só mantem uma única cópia dos seus arquivos em backup você terá que se conformar com as alterações feitas pois você não tem mais nenhuma versão do documento sem as alterações de ontem. Mas por outro lado se você tiver o backup de dois dias atrás, basta pegar aquela cópia e refazer o seu trabalho.

Isto é conhecido como “politica de retenção” e não existe uma regra melhor do que a que diga que quantos mais versões você tiver melhor. Nunca se sabe qual é a versão que você poderá precisar. Então se puder guardar 5, 10,… 50 versões diferentes que o faça. Você não tem nada a perder com isso, exceto um pouco mais de espaço na mídia de backup.

Como?

Se você já tem resposta para todas as pergutnas anteriores, responder a esta pergunta não será muito complicado. Um aplicativo para backup razoavelmetne bom o permitirá realizar backups completos, incrementais e diferenciais com agendamento de tarefa, possibilidade de selecionar pastas e arquivos a serem incluídos e/ou excluídos do processo e ainda fazem a rotação dos backups.

Explico:

O backup completo é aquele backup inicial onde tudo o que você definir que deve entrar no backup será copiado

O backup incremental é aquele que copiará apenas os arquivos modificados desde o seu último backup

O backup diferencial é aquele que inclui todos os arquivos modificados desde o seu último backup completo (note a sutil diferença entre este e o backup incremental). Para grande maioria dos usuários este tipo de backup é irrelevante

O agendamento de tarefas permite que o backup seja realizado sem a intervenção humana, ou seja, se o seu sistema já estiver configurado e a mídia de backup já estiver conectada ao computador, simplesmente esqueça o seu computador ligado e deixe que o sistema irá se virar

Seleção de pastas/arquivos a serem ignorados do backup é um recurso primordial. Se você não puder selecionar o que deve entrar no backup você terá que fazer o backup de tudo. Obvio que todos os programas de backup, por pior que seja, deverá ter esta opção; mas permitir, dentro de uma lista de arquivos,  ignorar um subconjunto é um requinte que não existe em todos os programas. Imagine que você queira fazer o backup de toda a sua pasta “Meus documentos”, mas deseja ignorar a pasta “downloads” que está lá dentro, se você não tiver este recurso, esqueça.

Rotação de backups nada mais é do que a habilidade do seu aplicativo excluir as versões mais antigas de backup quando não houver mais espaço em disco. Se, por exemplo, você já fez 10 backups e o disco não mais espaço para fazer o backup mais recente, o próprio sistema se encarrega de excluir a cópia mais antiga arrumando espaço para a nova cópia.

Conclusão

Backup não deve ser um procedimento doloroso, ou do contrário ele não será feito. Escolha bem o que entrará em sua política de backup (quais pastas e arquivos)

Com base no número de modificações que você faz em seu sistema e em seus arquivos veja uma boa frequencia de backup (diário, semanal, mensal)

Escolha uma mídia com tamanho adequado. Uma vez que já saiba quais arquivos serão copiados e consequentemente o tamanho do seu backup completo uma dica simples é escolher uma mídia que consiga armazenar ao menos duas cópias completas. Isso vai assegurar que ao menos duas versões dos seus arquivos estarão disponíveis para serem restauradas se houver necessidade.

Esteja atento ao número de versões que você poderá guardar. Particularmente eu sugiro um mínimo de duas versões estejam disponíveis, mas se for possível aumente este número.

Eu não vou sugerir nenhum programa para backup, visto que isto poderá ser feito com base em resenhas já feitas por outros autores e até mesmo lendo alguns outros textos que eu já escrevi, mas para que ninguém gaste o seu tempo perguntando meu backup é realizado com o programa “Back in Time” que é acionado todos os dias a meia-noite via agendador de tarefas do sistema (crontab), em um disco externo USB de 320GiB criptografado com Truecrypt e formatado com sistema de arquivos Ext2. Isto me garante a retenção de até 5 versões do meu backup.

Agora é com vocês. Planeje a sua política, prepare a sua mídia e só me resta desejá-los bons backup.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *